Fotógrafo, GEORGES SENGA (República Democrática do Congo, 1983) é formado em letras pela Universidade de Lubumbashi. Seu trabalho explora resquícios afetivos em paisagens abandonadas. Participou das bienais de Lubumbashi (2010 e 2015), Bamako (2011 e 2015) e Kampala (2014), e de festivais e exposições em diversos países africanos e europeus, como África do Sul, Etiópia, Espanha e Suíça.

Duas situações de disputa pelo território urbano compõem a série fotográfica CETTE MAISON N’EST PAS À VENDRE ET À VENDRE (2016). Em Lubumbashi, na República Democrática do Congo, o fotógrafo se deparou com diversas casas que expõem o recado "Cette maison n'est pas à vendre" [Esta casa não está à venda] pintado de improviso em suas fachadas. Objetos de conflitos familiares causados por disputas de herança, essas casas foram fotografadas por fora e por dentro, registrando as lembranças e o apego dos moradores a suas habitações. Já na cidade de Praia Grande (no litoral do estado de São Paulo, Brasil), em que o cenário urbano está se alterando rapidamente, o fotógrafo registrou fachadas e arredores de casas que estão, sim, à venda. Nesse caso, as memórias e os afetos que os imóveis poderiam evocar, assim como suas paredes, desaparecerão em breve.


Tags