Vive e trabalha nos Estados Unidos.

Uma das primeiras artistas brasileiras a trabalhar com vídeo, abordou pioneiramente assuntos relacionados a ecologia - já no início dos anos setenta. Seu primeiro vídeo, de 1974, foi um documentário poético sobre o grupo teatral de Ruth Escobar, finalizado por Andrea Tonacci. A extensa videografia da artista é marcada por obras realizadas com baixo orçamento. Exibida em diversos festivais, recebeu os prêmios: Menção Honrosa do American Film Institute; Best of ACTV Programming; "My Own Home Town" award; Grant from Program for Interdisciplinary Artists - Southwest Alternate Media Project; New Jersey Council for the Arts Fellowship, entre outros. Seus trabalhos em artes plásticas também já foram muito reconhecidos, tendo Regina Vater representado o Brasil na Biennale des Jeunes, em 1967, em Paris. Em 1980, recebeu o Guggenheim Fellowship, que a mobilizou a se transferir para os Estados Unidos. Entre 1980 e 1985, trabalhou e expôs intensamente em Nova York, além de promover a obra de outros artistas latino-americanos em exposições que organizou. Em 1982, editou a primeira revista norte americana dedicada à arte contemporânea da América Latina, Flue, publicada pela Franklin Furnace.