Bacharel em belas artes pela Pontificia Universidad Católica del Perú, XIMENA GARRIDO-LECCA (Peru, 1980) completou o mestrado na Byam Shaw School of Art, em Londres. Suas exposições individuais incluem Lines of Divergence, Galerie Gisela Capitain, Colônia (2018), Estados nativos, MALBA, Buenos Aires (2017), Insurgências botânicas: Phaseolus Lunatus, Sala de Arte Público Siqueiros, Cidade do México (2017); Tomada de terra, Galería Casado Santapau, Madri (2015); Los Suelos, MATE, Museu Mario Testino, Lima (2014); e Paisaje Antrópico, Max Wigram Gallery, Londres (2012). Entre as mostras coletivas recentes estão Entangled: Threads & Making, Turner Contemporary, Kent, Reino Unido (2017) e The Late Shift, Frac des Pays de la Loire, Carquefou, França (2016).

Ao longo de três anos, a artista documentou uma série de estruturas feitas em bambu e madeira, construídas em meio ao deserto como forma de reivindicar a terra. Mobilização espontânea das comunidades agrícolas andinas, as terras demarcadas sãogradativamente habitadas, em um processo de reivindicação de posse muito comum nos arredores de Lima a partir da década de 1950. O vídeo LINES OF DIVERGENCE (2018) é o último capítulo da documentação de invasões perto de Pucusana. As linhas de giz no deserto dividem a terra já registrada em lotes e demarcam os novos terrenos.


Tags