Realização |
  • Fotoptica
  • Museu da Imagem e do Som (São Paulo)
  • Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo
Coordenação geral |
Direção geral |

Na terceira edição do Festival, realizada no Teatro Sérgio Cardoso, o vídeo ganhava espaço no Brasil. A produção independente começava a conquistar territórios na TV: a produtora Olhar Eletrônico vendia trabalhos para programas exibidos no horário nobre da Rede Globo, e emissoras como Cultura, Bandeirantes e Gazeta também abriam suas programações para as novas gerações.

Atento a esse contexto, o Festival teve três grandes eixos temáticos: a entrada do vídeo na TV, o videoteatro, e a difusão da crescente produção nacional no próprio país e no exterior. Um primeiro sinal de estabilização do novo meio. O monopólio das redes de TV abertas ainda permeava as discussões, que aventavam alternativas como o UHF e a TV a cabo.

Na Mostra Competitiva, chamou atenção a experiência de TV comunitária "sem canal" do grupo TV Viva, do Recife (PE), o grande premiado da edição, além de trabalhos marcados pela experimentação e pela linguagem poética. A Secretaria de Estado da Cultura criou o Prêmio Estímulo para vídeo. A mostra Odisseia dos Sons e uma mostra de holografia esquadrinham a linguagem específica do vídeo. Nascia também a Videoteca Videobrasil, coleção que mais tarde reuniria milhares de títulos.

Programação

mostra competitiva

Tapes em Concurso

A Mostra Competitiva dessa edição buscou promover o desenvolvimento das linguagens eletrônicas, por meio da divulgação do vídeo como veículo de expressão contemporânea. Das 96 obras inscritas em U-matic e VHS, 50 foram selecionadas.

mostra de filmes e/ou vídeos

"Gay Pride Parade"

Documentário Gay Pride Parade, de Cândido José Mendes Almeida e Hélio Alvarez, sobre a parada gay que acontece anualmente em Nova York. 

"Os Pioneiros"

Mostra retrospectiva dos pioneiros da videoarte no Brasil reuniu 35 obras realizadas entre 1974 e 1980. Usando pesados gravadores “portáteis”, esses pioneiros pesquisaram exaustivamente o novo meio, descobrindo uma linguagem própria do vídeo.

Jorge Luís Borges em "Conexão Internacional"

O programa Conexão Internacional exibe uma entrevista com o escritor argentino Jorge Luís Borges, cuja edição foi realizada pela Intervídeo.

Mostra Fernando Gabeira

Coletânea dos trabalhos em vídeo de Fernando Gabeira, veiculados no programa Sexta-Feira, da TV Bandeirantes. Gabeira buscou uma linguagem adequada ao vídeo político, abordando temas como agrotóxicos, Aids, lixo atômico e sem-teto.

Retrospectiva Olhar Eletrônico

Uma visão global sobre a história da Olhar Eletrônico Vídeo. A retrospectiva contou com a exibição de um vídeo feito especialmente para o Festival e que reúne depoimentos dos próprios protagonistas da produtora sobre seus principais momentos.

exposição

“A Arte na Trama Eletrônica”, de Rodolfo Cittadino

Exposição organizada por Rodolfo Cittadino, um dos pioneiros na pesquisa das potencialidades e do desenvolvimento da arte por meio do Videotexto. Reuniu cinco artistas da "arte da trama", de diversas origens, entre brasileiros, franceses e portugueses.

performance

Videoperfomances de Otavio Donasci

Diversas apresentações de Otavio Donasci integraram a programação do Festival, dentre elas algumas videoperformances, tais como as Videocriaturas, um projeto de videoteatro e uma "videossinfonia" regida pelo artista.

programas públicos

"Antena Livre" (1)

Uma das iniciativas mais importantes do Festival foi a organização de três dias de debate com produtores e público interessado, a fim de discutir as mudanças para uma política do direito à informação no país e as transformações desejadas na próxima Constituinte.

"Antena Livre" (2)

Uma das iniciativas mais importantes do Festival foi a organização de três dias de debate com produtores e público interessado, a fim de discutir as mudanças para uma política do direito à informação no país e as transformações desejadas na próxima Constituinte.

"Antena Livre" (3)

Uma das iniciativas mais importantes do Festival foi a organização de três dias de debate com produtores e público interessado, a fim de discutir as mudanças para uma política do direito à informação no país e as transformações desejadas na próxima Constituinte.