Realização |
  • Fotoptica
  • Museu da Imagem e do Som (São Paulo)
  • Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo
Direção geral |

O crescimento e a consolidação do Festival no Brasil tornaram possível uma aproximação progressiva com centros de arte eletrônica de diferentes países. Os intercâmbios se tornaram cada vez mais freqüentes, e o Festival avançou rumo à sua vocação internacional: a sétima edição recebeu convidados de algumas das principais instituições de produção e difusão no mundo: Pierre Bongiovanni, do Centre International de Création Vidéo de Montbéliard (França), Sandra Lischi, do festival Ondavideo (Itália), Rod Stoneman, do Channel 4 (Inglaterra), John Wiver, da produtora inglesa Illuminations, Tom Van Vliet, curador e diretor do festival holandês World Wide Video Festival, e Jean-Paul Treffois, da Rádio e Televisão Belga da Comunidade Francesa. Dois prêmios internacionais foram concedidos, pelo Centre International de Création Vidéo de Montbéliard e pela Rádio e Televisão Belga da Comunidade Francesa. Realizado no Museu da Imagem e do Som - MIS, o Festival se afirmava também como pólo de contato entre distribuidores, exibidores e canais de televisão.

Programação

mostra competitiva

Mostra Competitiva Nacional

A Mostra Competitiva foi composta por 41 obras de 57 realizadores brasileiros, selecionadas entre as 160 inscritas. As obras foram organizadas nas categorias videoarte, musical, documentário e ficção, e pelos formatos VHS e U-Matic.

mostra de filmes e/ou vídeos

Mostra Francesa, curadoria de Jean-Marie Duhard

Com curadoria de Jean-Marie Duhard, a Mostra Francesa foi composta por vídeos realizados na Ex-Nihilo, centro de produção de vídeo criado em 1984 na França.

Mostra Inglesa, curadoria de Paula Dip e Gill Henderson

A Mostra apresenta a produção de videoarte inglesa da segunda metade dos anos 1980, selecionada pelos curadores Paula Dip e Gill Henderson (The British Council).

Prêmio Estímulo da Secretaria de Estado da Cultura

Criado em 1985 pela Secretaria de Estado da Cultura, o Prêmio Estímulo tinha como objetivo patrocinar a produção de dez vídeos independentes ao ano. No 7º Videobrasil foram exibidos nove trabalhos vencedores, selecionados pela Comissão de Rádio e TV da Secretaria de Estado da Cultura.

Vídeo Hors-Concours

A Mostra de Vídeo Hors-Concours foi composta por quatro documentários produzidos por importantes realizadores brasileiros. Todos os vídeos também possuem uma característica em comum: foram realizados fora do país.

exposição

"Adote um Satélite", Marcelo Masagão

 A videoinstalação de Marcelo Masagão é, ao mesmo tempo, uma homenagem e uma sátira à televisão; um misto de instalação, happening e exposição de esculturas.

"O Caminho das Vertigens", Sandra Kogut

Videoinstalação de Sandra Kogut, composta por cinco monitores dispostos dentro de uma plataforma sobre a qual o espectador caminha – as imagens exibidas se tratam de vistas de cima da cidade.

"Oremos", Eder Santos

Videoinstalação de Eder Santos, composta por oito monitores e três telões que configuram uma igreja eletrônica. As paredes laterais da nave da igreja eram constituídas por quatro colunas, onde foram fixados monitores representando os passos da Paixão de Cristo.

programas públicos

Meeting: "TV e Vídeo no Brasil - Uma Abordagem Sintética"

O debate reuniu produtores, realizadores e diretores de festivais de vídeo estrangeiros e brasileiros. O enfoque da discussão foi a distribuição da produção videográfica no Brasil e no exterior.

workshop

"A Workshop about Television and Videoart", com John Wyver

Workshop ministrado por John Wyver, escritor, produtor e fundador da produtora independente inglesa Illuminations, com foco no intercâmbio entre a videoarte e a televisão.

documentação

Videojornal

Uma das grandes atrações do Festival, o Videojornal documentou diariamente a edição do evento. Por meio dele, o público pôde acompanhar e participar de tudo o que aconteceu no Festival ao longo dos seis dias.