Três colegiais leem e comentam, às escondidas, o poema erótico-cômico Elixir do Pagé, do escritor mineiro Bernardo Guimarães. O poema é um monólogo divertido de um homem com seu pênis que já não reage como outrora aos estímulos sexuais. Para "ressuscitá-lo", ele apela para os conhecimentos ancestrais de um pajé.

Prêmios e menções