Curadoria geral |

Em sua 19ª edição, o Festival radicaliza sua proposta e transforma Panoramas do Sul no corpo central de toda a sua programação. O Sul global e suas múltiplas questões – que dizem respeito a diásporas, identidades híbridas, trânsito migratório e viagens, narrativas pessoais, memórias, isolamento, tecido social e insularidade – foram inspirações e parâmetros da Comissão Curadora para a seleção de obras e projetos, passando a direcionar também os eixos curatoriais de todas as exposições, programas públicos e publicações do Festival. Os curadores Bernardo José de Souza, Bitu Cassundé, João Laia  e Júlia Rebouças, trabalham nesta edição sob a orientação de Solange Farkas, curadora geral do Festival e diretora da Associação Cultural Videobrasil, que assina com o Sesc São Paulo a correalização do Festival. Ao todo, 62 artistas e grupos de 27 países participam das três exposições do 19º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil | Panoramas do Sul, cinco deles como artistas convidados e 57 selecionados por meio de duas convocatórias públicas (uma de obras e outra de projetos comissionados pelo Festival, novidade desta edição). As exposições dos artistas convidados e selecionados pelo edital de obras acontecem no Sesc Pompeia, principal sede das últimas edições do Festival. Já o Galpão VB, novo espaço da Associação Cultural Videobrasil, recebe a exposição de projetos comissionados. Além dessas mostras, a programação do Festival é composta por programas de filmes, performances, cerimônia de premiação, atividades dos programas públicos (encontros e conversas, seminários e oficinas), ações educativas e lançamento de publicações.No mesmo período, é inaugurada a exposição paralela Quem Nasce Pra Aventura Não Toma Outro Rumo – Obras do Acervo Videobrasil, com curadoria de Diego Matos, coordenador de arquivo e pesquisa do Videobrasil, reunindo uma seleção de obras do Acervo Videobrasil que ecoa reflexões levantadas pelo 19º Festival.

Acesse o hotsite do 19º Festival

Programação

mostra competitiva

Panoramas do Sul | Obras Selecionadas

Vídeos, instalações, performances, fotografias, obras sonoras e esculturas compõem um panorama das visões de mundo e das questões que mobilizam, hoje, artistas de diferentes regiões do Sul geopolítico

mostra de filmes e/ou vídeos

Programa de Filmes | Gabriel Abrantes

Uma visão iconoclasta da história, da arte e do cinema marca os filmes de Gabriel Abrantes, que subvertem elementos de gênero hollywoodianos para falar dos impactos da globalização, de questões de gênero, da falência das utopias

exposição

Exposição Paralela | Quem nasce pra aventura não toma outro rumo - Obras do Acervo Videobrasil

Releitura, à luz do contemporâneo, da produção resguardada pelo Acervo Videobrasil, reúne dezesseis obras realizadas entre 1978 e 2012 por artistas do Sul global

Panoramas do Sul | Artistas Convidados

Os cinco artistas convidados para o Festival atestam a potência das vozes que falam do Sul e desde o Sul

Panoramas do Sul | Projetos Comissionados

As obras que compõem esta exposição são fruto de um edital para comissionamento de projetos de artistas do Sul lançado em 2014 pelo Festival

programas públicos

Encontros e conversas | Leitura de Portfólios

Alguns dos artistas selecionados para o Festival recebem artistas previamente inscritos para compartilhar sua própria pesquisa e trajetória

Encontros e conversas | Rede de Residências

Representantes das residências artísticas parceiras do 19º Festival se colocam à disposição para conversar com o público sobre seus programas

Encontros e conversas | Tilting Axis 1.5

O 19º Festival recebeu a plataforma de discussão Tilting Axis, voltada a promover maior proximidade e articulação entre profissionais que trabalham em iniciativas e instituições geridas por artistas na região caribenha

Seminário "Lugares e sentidos na arte: debates a partir do Sul" | Mesa 1 | Repensar tradições: arte, gesto e contemporaneidade

A noção de arte contemporânea responde a um sistema específico. Se o contemporâneo abrange sobretudo o agora, como repensar e alargar as categorias da arte?

Seminário "Lugares e sentidos na arte: Debates a partir do Sul" | Mesa 2 | Repensar espaços: arte, usos e cotidiano

A criação artística converte-se em um poderoso instrumento de produção de sentidos, conhecimento e pensamento crítico. Quais lugares a arte ocupa hoje? Quais usos a obra de arte nos sugere?

Seminário "Lugares e sentidos na arte: debates a partir do Sul" | Mesa 3 | Repensar narrativas: arte, memória e ficção

A mesa discute a criação que, destituída de prova ou documento, busca cruzamentos de palavras e imagens que permitam escapar de um mundo reduzido ao visível e entrar no campo da imaginação

Seminário "Lugares e sentidos na arte: debates a partir do Sul" | Mesa 4 | Repensar o tempo: arte, silêncios e histórias

O encontro debateu práticas de pensadores e artistas que buscam desestabilizar (ou reiterar) as forças políticas limitadoras dos campos da história e da memória

workshop

Lambada e o Corpo Social: o corpo da memória e vivência com dança

O artista Carlos Monroy propôs uma vivência evocando elementos de memória e construção familiar a partir do corpo. A oficina gerou reflexões sobre origem, mestiçagem cultural e construção folclórica, e terminou em uma prática de dança

Memória tecida: Monotipia vista do Mali

O artista malinês Abdoulaye Konaté conduziu uma oficina de monotipia. A partir da prática do ateliê coletivo, o artista aproximou o público de sua poética e de linguagens artísticas tradicionais do Mali, seu local de origem

Vocabulário de um Sul Existente: Invenção de um Mundo a partir de Lugares Inexistentes

A partir do trabalho da artista Ting-Ting Cheng, o público explorou livros, histórias e imagens para construir, coletivamente, um repertório conceitual e imagético em torno da ideia de um lugar do Sul