CURADORES CONVIDADOS

Raphael Fonseca, Rio de Janeiro, 1988

Pesquisador nas áreas de história da arte, crítica, curadoria e educação. É o primeiro curador associado de arte latino-americana moderna e contemporânea no Denver Art Museum, nos Estados Unidos. Trabalhou como curador do MAC Niterói entre 2017 e 2020. Doutor em Crítica e História da Arte pela UERJ, recebeu o Prêmio Marcantonio Vilaça de curadoria (2015). Entre suas exposições recentes estão Who tells a tale adds a tail (Denver Art Museum, 2022), Raio-que-o-parta: ficções do moderno no Brasil (Sesc 24 de Maio, 2022), The silence of tired tongues (Framer Framed, Amsterdã, Holanda, 2022), Sweat (Haus der Kunst, Munique, Alemanha, 2021-2022), Vaivém (Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, 2019-2020), Lost and found (ICA Singapore, 2019), Sonia Gomes – a vida renasce, sempre (MAC Niterói, 2018) e The sun teaches us that history is not everything (Osage Art Foundation, Hong Kong, 2018).

Renée Akitelek Mboya, Nairóbi, 1986

É escritora, curadora e cineasta. Seu trabalho se baseia na biografia e na contação de histórias como forma de pesquisa e produção. Renée está atualmente preocupada em olhar e falar sobre imagens e as formas como elas são produzidas, mas especialmente como elas passaram a desempenhar um papel crítico como evidência da paranoia branca e como expressões estéticas da violência racial. Frente a isso, Renée busca entender melhor as maneiras pelas quais tais imagens são usadas para reforçar a narrativa institucionalizada do corpo racializado como um constante perigo à lei. Entre seus projetos mais recentes estão Sweet Like Honey (Northern Corner Gallery, Musanze, 2022) e A Glossary of Words My Mother Never Taught Me (Cell Project Space, Londres, 2021). Renée trabalha entre Dakar e Nairóbi e é editora colaborativa do Wali Chafu Collective.

DIRETORA ARTÍSTICA

Solange Farkas, Feira de Santana-BA, 1955

Com quatro décadas de trânsito no meio cultural, Solange Farkas foi curadora-chefe do Museu de Arte Moderna da Bahia. Participou, como curadora convidada, do FUSO (Portugal), da Dak’Art – Bienal de Arte Africana Contemporânea (Senegal), do 6º Festival Internacional de Vídeo de Jacarta (Indonésia), da 10ª Bienal de Xarja (Emirados Árabes Unidos), da 16ª Bienal de Cerveira (Portugal) e da 5ª Videozone – Bienal Internacional de Videoarte (Israel). Criadora e diretora da Associação Cultural Videobrasil, atua como diretora artística do festival e bienal Sesc_Videobrasil desde sua primeira edição, em 1983, investindo na criação tanto de seu acervo quanto de uma ampla rede de parceiros institucionais nos cinco continentes. Nos últimos anos, integrou o Júri de Premiação da 14ª Bienal de Xarja (2019), o Comitê de Premiação do Prince Claus Awards (2017-2018), o júri da 10ª Rencontres de Bamako – Bienal Africana de Fotografia (Mali, 2015), o Comitê de Seleção dos curadores para a 11ª Bienal de Berlin (2020) e ajudou a organizar a mostra Anthropocene Project no Ilmin Museum of Art (Coreia, 2019). É membra do comitê de jurados do EYE Art & Film Prize de Amsterdã e do conselho consultivo do espaço de arte Pivô, em São Paulo. Em 2017, foi contemplada com o Montblanc Arts Patronage Award, prêmio da fundação alemã destinado a profissionais com trajetória de destaque no apoio ao desenvolvimento das diversas expressões artísticas e culturais. Recentemente, realizou a curadoria de uma série de exposições na plataforma Videobrasil Online, inaugurada em 2020, e assina em 2022 a curadoria da mostra REVIRAVOLTA, realizada em Vitória em parceria com o Governo do Estado do Espírito Santo.

COMISSÃO CURADORA