O Caderno Sesc_Videobrasil é uma revista anual que transpõe para o meio impresso as possibilidades curatoriais contemporâneas. Cada uma de suas edições é criada por um editor convidado, que atua como um curador, construindo com autonomia um projeto editorial a partir das contribuições de artistas e teóricos, resultando em uma reflexão multifacetada, ao mesmo tempo plural e coesa, sobre um tema de relevo na atualidade.

O Caderno já teve edições desenvolvidas por Miguel A. López (Caderno Sesc_Videobrasil 11: Alianças de corpos vulneráveis: feminismos, ativismo bicha e cultura visual, sobre como as dissidências sexuais e o ativismo queer estão transformando os discursos tradicionais da história da arte), Elvira Dyangani Ose (Caderno Sesc_Videobrasil 10: Usos da Memória, explorando o uso arquivo na arte contemporânea), Marie Ange Bordas (Caderno Sesc_Videobrasil 9: Geografias em movimento, tratando de temas como territorialização e cartografias afetivas), Moacir dos Anjos (Caderno Sesc_Videobrasil 8: Pertença, abordando questões em torno da ideia de pertencimento), Rodrigo Moura (Caderno Sesc_Videobrasil 7: A Revista, que tratou do papel das publicações periódicas na arte), Fernando Oliva (Caderno Sesc_Videobrasil 6: Turista/Motorista, sobre o trânsito global das relações de poder e influência cultural), Lisette Lagnado (Caderno Sesc_Videobrasil 5: Clio, pátria, abordando o feminino na cultura), Marcelo Rezende (Caderno Sesc_Videobrasil 4: Ocupação do espaço, sobre ocupação espacial na arte), Paula Alzugaray (Caderno Sesc_Videobrasil 3: Limite, Movimentação de Imagem e Muita Estranheza, em torno do experimentalismo audiovisual), Hélio Hara (Caderno Sesc_Videobrasil 2: Arte Mobilidade Sustentabilidade, sobre os desafios da intensificação da urbanização e o acesso crescente a novas tecnologias), e José Augusto Ribeiro (Caderno Sesc_Videobrasil 1: Performance, propondo uma alternativa à história oficial do gênero da performance).