Realização |
  • Associação Cultural Videobrasil
  • SESC São Paulo
Curadoria geral |

Na décima primeira edição, sediada no Sesc Pompeia, o Festival se firmava internacionalmente por uma característica única: a capacidade de reunir obras de qualidade produzidas fora do eixo tradicional formado pela Europa e pelos Estados Unidos. O evento também reiterava sua vocação de incentivador de performances, como as apresentadas por Eder Santos e Paulo Santos, Stephen Vitiello e Steina Vasulka, Isabelle Choinniere e Marcondes Dourado. A relação do vídeo com a arte, especialmente a poesia, a instalação e a pintura, passou a dominar a produção, inicialmente ligada à televisão e ao cinema. A décima primeira edição homenageou as três décadas da videoarte, promovendo uma retrospectiva de um grande pioneiro: o sul-coreano Nam June Paik, que fez uma reedição especial para uma obra já clássica, “TV Moon”. Como parte dos eventos paralelos foi criado o Videobrasil Cyberspace, que dava acesso à consulta de CD-ROMs e, também, a projetos desenvolvidos para a ainda incipiente internet.


Acesse o hotsite do 11º Festival

Programação

mostra competitiva

Mostra Competitiva

A Mostra Competitiva é uma seleção de trabalhos em vídeo de artistas do Hemisfério Sul que concorrem a prêmios. Neste Festival, foram inscritas 438 obras, das quais selecionaram-se 69, de 72 artistas de 14 países diferentes.

mostra de filmes e/ou vídeos

"Do It", curadoria de Peter Payer

Parte da Mostra Informativa, a curadoria de Peter Payer é uma mostra composta por uma rápida sequência de imagens, como videoclipes, com duração entre um e dois minutos, em que mais de dez artistas fazem depoimentos a respeito de seus trabalhos.

"Historic Video", curadoria de Kate Horsfield

Parte da Mostra Informativa, Historic Video teve curadoria de Kate Horsfield (Video Data Bank, EUA) e reuniu trabalhos de diversos expoentes da videoarte.

"Olhares do Sul", curadoria de Gabriela Massuh

Parte da Mostra Informativa, Olhares do Sul é uma seleção de obras de brasileiros, chilenos e argentinos que tem como intuito oferecer um intercâmbio entre os países e inserir os trabalhos no universo videográfico dos Estados Unidos, da Europa e da América Latina.

"See You Later: UK Artists and TV", curadoria de Michael Mazière

Parte da programação da Mostra Informativa, a curadoria de Michael Mazière apresentou a irreverente linguagem de uma nova geração de produtores ingleses dos anos 90 que buscaram recuperar espaços para a videoarte.  

"The Beatles, McLuhan e The TV Cello: Os Primeiros Vídeos de Paik", curadoria de Lori Zippay

Mostra histórica de vídeos de Nam June Paik, com curadoria de Lori Zippay, parte do projeto que homenageia o artista, intitulado À Espera do Século 22: Uma Presença Virtual no Videobrasil 96. A seleção apresenta a fase inicial de Paik, com vídeos produzidos entre 1965 e 1972.

Retrospectiva Nam June Paik, curadoria de Lori Zippay

A retrospectiva de Nam June Paik, com curadoria de Lori Zippay, é parte da programação À Espera do Século 22: Uma Presença Virtual no Videobrasil 96. O artista homenageado é um dos principais expoentes da videoarte.

Videobrasil na TV Educativa

A Mostra Competitiva foi exibida diariamente, para todo o Brasil, pela TV Educativa no programa Curta Brasil Especial. O programa teve uma linha aberta para o voto do telespectador, que pôde eleger os melhores vídeos nacionais da mostra. 

XVI Festival Franco-Latino-Americano

O Festival Franco-Latino-Americano de Videoarte (FFLA) é um evento que reúne trabalhos em vídeo da Colômbia, Argentina, Chile, França e Brasil. Foram sete dias dedicados à apresentação dos trabalhos concorrentes.

exposição

"Photo-in-Progress", Renato Cury

O projeto Photo-in-Progress, de Renato Cury foi exposto na área de convivência do Sesc. Trata-se de um making of fotográfico de imagens digitalizadas, retratando o dia a dia do Festival.

Artista convidado: Cao Hamburger

A videoinstalação Vídeo Zoo, de Cao Hamburger, é parte da mostra dos artistas convidados do Festival. Apresentando obras de nomes importantes da arte eletrônica, a mostra oferece uma visão global de novas tendências de identidades artísticas.

Artista convidado: Inês Cardoso

A videoinstalação Daragóy, de Inês Cardoso, é parte da mostra dos artistas convidados do Festival. Apresentando obras de nomes importantes da arte eletrônica, a mostra oferece uma visão global de novas tendências de identidades artísticas.

Artista convidado: Keiichi Tanaka

A videoinstalação Luminous Cosmic Rays, de Keiichi Tanaka, é parte da mostra dos artistas convidados do Festival. Apresentando obras de nomes importantes da arte eletrônica, a mostra oferece uma visão global de novas tendências de identidades artísticas.

Artista convidado: Michel Jaffrennou

As obras Pierre et le Loup e Le Plein des Plumes, de Michael Jaffrennou, é parte da mostra dos artistas convidados do Festival. Apresentando obras de nomes importantes da arte eletrônica, a mostra oferece uma visão global de novas tendências de identidades artísticas.

Instalações de Nam June Paik

As quatro videoinstalações expostas no Festival fazem parte da mostra em homenagem ao artista Nam June Paik, intitulada À Espera do Século 22: Uma Presença Virtual no Videobrasil 96.

performance

"Bardo", Marcondes Dourado

Na performance Bardo, inspirada em textos de Antonin Artaud, Marcondes Dourado integra as linguagens do vídeo, da dança e do teatro.

"Communion - Le Partage des Peaux II", Isabelle Choinière

Na performance Communion - Le Partage des Peaux II, de Isabelle Choinière, os recursos de manifestação corporal da dança são amplificados pela eletrônica do vídeo e da imagem computadorizada.

"Passagem de Mariana", Eder Santos, Paulo dos Santos e grupo UAKTI

Com o uso de elementos cenográficos, música eletrônica e recursos audiovisuais, a performance Passagem de Mariana, de Paulo dos Santos, Eder Santos e grupo UAKTI, representa os sete pecados capitais.

"Poesia é Risco", Augusto de Campos, Cid Campos e Walter Silveira

A performance Poesia é Risco de Augusto de Campos, Cid Campos e Walter Silveira é definida pelos autores como um "evento verbivocovisual" por trazer a interação de leitura de poemas, música instrumental eletrônica, canto e imagens videográficas.

"Video Opera for Paik", Steina Vasulka e Stephen Vitiello

A performance Video Opera for Paik, conduzida por Steina Vasulka e Stephen Vitiello, é parte da programação À Espera do Século 22: Uma Presença Virtual no Videobrasil 96, em homenagem ao artista Nam June Paik.

programas públicos

Apresentação: Gisela Domschke e Fabio Itapura

Os autores Gisela Domschke e Fabio Itapura fizeram a apresentação de seu CD-ROM Desejos e Medos no Auditório.

Apresentação: Hans Falkenberg

Hans Falkenberg fez uma apresentação sobre o Input 98 no Auditório.

Apresentação: Hermann Nöring

Hermann Nöring fez uma apresentação sobre o CD-ROM alemão European Media Arts Festival no Auditório.

Apresentação: Michael Mazière

Michael Mazière, do London Eletronic Arts and Pandemonium Festival, fez a apresentação sobre os CD-ROMs Anti Rom, Book of Shadows e The Digital Laboratory no Auditório.

Apresentação: Tom van Vliet

Tom van Vliet, diretor do World Wide Video Center, Holanda, fez a apresentação sobre o CD-ROM Psicomanualdigital, que ficou disponível no Videobrasil Cyberspace.

Conferência "Os Primeiros Vídeos de Paik", com Lori Zippay

As primeiras tentativas de reinventar uma linguagem em busca da arte, numa conferência sobre Nam June Paik. A conferência da curadora Lori Zippay (Electronic Arts Intermix) antecedeu a exibição da mostra de vídeos do artista.

Conferência "TV e Arte: Mecanismos de Produção"

O debate "TV e Arte: Mecanismos de Produção" contou com representantes da televisão e foi uma oportunidade de discutir temas fundamentais da produção e veiculação de trabalhos em vídeo.

documentação

Making Of do 11º Videobrasil

Além de trechos da montagem do evento e de performances, a reportagem inclui depoimentos dos organizadores, de artistas internacionais e de autores premiados.

Videojornal

O Videojornal fez a cobertura dos eventos do Festival. Durante os seis dias do evento, uma redação eletrônica produziu depoimentos e imagens de alguns participantes, informou a programação e apresentou o making of do 11º Videobrasil.

videoteca / midiateca

Videobrasil Cyberspace

O Videobrasil Cyberspace, ou Café Eletrônico, situado na área de convivência, foi um bar-café que dispunha de seis terminais para livre acesso do público ao site do Festival e aos trabalhos artísticos feitos em CD-ROM, disquetes e via Internet.