Realização |
  • Associação Cultural Videobrasil
  • SESC São Paulo
Curadoria geral |

A décima quarta edição, realizada no Sesc Pompeia, celebrava uma data especial: os 20 anos do Videobrasil Festival Internacional de Arte Eletrônica, internacionalmente reconhecido como o grande foco de convergência da produção do chamado circuito sul. A já duradoura parceria com o SESC-SP possibilitou organizar a maior mostra dessas duas décadas, com o tema “Deslocamentos”, fenômeno que permeia a vida contemporânea. Artistas da América Latina, da África, do Caribe, do Oriente Médio, do Sudeste Asiático, da Oceania e da Europa do Leste participaram do evento, pela primeira vez concentrado em obras do sul geopolítico das artes. Uma retrospectiva dos 30 anos de criação nacional em vídeo, com curadoria de Arlindo Machado, foi incluída no Eixo Histórico, enquanto no Eixo Contemporâneo era apresentada uma importante mostra da arte do Líbano, país constantemente confrontado com a idéia de “Deslocamentos”. A curadoria foi de Christine Tohme e Akram Zaatari. O Festival homenageou o artista brasileiro Waly Salomão, ativo colaborador da Associação Cultural Videobrasil, com o lançamento do DVD “Nomadismos: Homenagem a Waly Salomão”, especialmente produzido com a ajuda de amigos e parceiros. Waly, que fazia parte da comissão de programação, morreu poucos meses antes da abertura do Festival. A partir desta edição, as obras em vídeo e em novas mídias passaram a competir numa única categoria.


Acesse o hotsite do 14º Festival

Programação

mostra competitiva

Mostra Competitiva do Sul

Para a Mostra Competitiva do 14º Videobrasil, foram inscritas 765 obras de 40 países diferentes. Destas, participaram da programação 97 trabalhos em vídeo, CD-ROM e web, escolhidos pela comissão de seleção. O júri de premiação selecionou sete obras.

mostra de filmes e/ou vídeos

"Investigações Contemporâneas"

A partir da observação dos trabalhos inscritos na Mostra Competitiva, a comissão de seleção reuniu 29 obras nas quais identificou uma produção que se destaca pela qualidade da pesquisa e por apontar tendências emergentes no campo da arte.

Eixo Histórico: "Made in Brasil - Três Décadas do Vídeo Brasileiro", curadoria de Arlindo Machado

Trata-se de uma ampla retrospectiva de vídeo de criação produzido no Brasil, desde os primórdios, nos anos de 1970 até o presente. A mostra foi realizada pelo Itaú Cultural e teve curadoria de Arlindo Machado, que selecionou 84 vídeos, divididos em dez programas.

Eixo Histórico: "No Ar e Fora", Marcelo Tas

A mostra reúne programas que Marcelo Tas criou para a TV, de 1988 a 1998, com destaque para o primeiro piloto da série Fora do Ar, concebida para o núcleo do diretor Guel Arraes, na Rede Globo, e que jamais foi aprovada ou exibida até então.

Eixo Histórico: "Presença Francesa no Videobrasil", curadoria de Gabriel Soucheyre

O programa retrospectivo é uma seleção de vídeos franceses produzidos por artistas que participaram desses 20 anos de história dos festivais, e tem curadoria de Gabriel Soucheyre. A mostra foi exibida no auditório.

Narrativas Possíveis - Práticas Artísticas no Líbano: "Além das Evidências", curadoria de Akram Zaatari e Christine Tohme

A mostra de vídeo integrou o eixo "Narrativas Possíveis - Práticas Artísticas no Líbano" e reuniu dez vídeos produzidos de 1994 a 2002, sob curadoria de Akram Zaatari e Christine Tohme.

Panoramas África: "Re-Presentando o Tempo", curadoria de Miguel Petchkovsky

O curador Miguel Petchkovsky selecionou um grupo de artistas que discutem temas como memória, hibridismo cultural e representação histórica do tempo. A mostra é composta por 11 vídeos e o programa foi dividido por localidade: África do Sul, Angola, Moçambique e Diáspora

Panoramas Caribe: "Impressões Aleatórias, Locais Aleatórios", curadoria de Charlotte Elias e Christopher Cozier

Charlotte Elias e Christopher Cozier selecionaram nove vídeos caribenhos, realizados entre 1999 e 2003, cujos contextos se ligam pela similaridade das condições em que seus autores operam; tratando dos modos como eles se articulam com a tecnologia.

Panoramas China: "Drama em Curtas-Metragens", curadoria de Shulin Zhao

A curadoria de Shulin Zhao trouxe cinco curtas-metragens chineses, produzidos em 2002 e 2003, que refletem sobre elementos caracterizados como típicos da cultura chinesa tradicional.

Panoramas China: "Vídeo das Pessoas", curadoria de Shulin Zhao

A mostra traz 21 vídeos, produzidos entre 2001 e 2003, cujos autores são professores, estudantes, poetas, operários, policiais, médicos, jornalistas e designers que transformaram o acesso à baratíssima tecnologia DV em videoarte, ficção e documentário.

Panoramas Cingapura: "Sinais, Visões e Sons", curadoria de Yuni Hadi

Na mostra dedicada à produção de Cingapura, a curadora Yuni Hadi selecionou oito jovens artistas, representantes da recém-nascida produção digital, cujos trabalhos, feitos entre 1999 e 2002, exploram as idéias de terra natal, memória, navegação e opressão.

Panoramas Hungria: "Videoarte na Hungria - Passado e Presente", curadoria de Miklós Peternák

O curador Miklós Peternák selecionou 30 trabalhos, produzidos entre 1984 a 2002, cujos autores são estudantes de curso de Intermídia da Academia Húngara de Belas Artes.

Retrospectiva Akram Zaatari

Nesta edição, o Festival dedica um dos volumes da série Retrospectivas (produto do acervo da Associação) a Akram Zaatari. A compilação de vídeos reúne trabalhos singulares do artista libanês, com ênfase nos trabalhos apresentados nos Festivais Videobrasil.

Retrospectiva Marina Abs André

Nesta edição, o Festival dedica um dos volumes da série Retrospectivas (produto do acervo da Associação) a Marina Abs. A compilação reúne trabalhos-chave da artista, um dos expoentes mais entusiásticos da primeira geração do vídeo independente no país.

exposição

Narrativas Possíveis - Práticas Artísticas no Líbano, curadoria de Akram Zaatari e Christine Tohme

A curadoria integra a mostra sobre a produção artística no Líbano. As instalações do galpão são exemplos de como os artistas usam a imagem para resgatar identidade e memória num país marcado por conflitos. O vídeo é fonte de experimentação estética e política.

performance

"Colectivo Nortec", Nortec Collective

Parte da programação do "Panoramas", a performance Colectivo Nortec foi escolhida pelo curador Priamo Lozada para representar a nova produção eletrônica mexicana. DJs e VJs manipulam ao vivo sons e imagens, evocando um espírito das raves.

"Desconstruindo Letícia Parente: 'Marca Registrada'", Luiz Duva

A performance Desconstruindo Letícia Parente integra o Eixo Histórico. Luiz Duva manipula ao vivo imagens pré-alteradas sobre exercícios musicais de improviso criados pelo grupo LCD. O artista relê a obra Marca Registrada, da pioneira Letícia Parente (1930-91).

"Deus nos Guiando no Escuro", D+8

Deus nos Guiando no Escuro integra a programação da exposição Panoramas. Concebida por Domenico Lancellotti, a performance conta com outros oito artistas que criam música ao vivo guiados por uma sequência de projeções em looping, reconstruindo cidades, fixações e memórias.

"Dobra 24.9.2003", Dobra

Dobra 24.9.2003 sintetiza os processos de sobreposição de linguagens, da troca de samples e da fusão de procedimentos em interfaces que geram composições híbridas de imagens e som. A performance de Angela Detanico e Rafael Lain integra o Panoramas.

"Luz Morena", Duncan Lindsay e Quito Ribeiro

O projeto Luz Morena, que integra a exposição Panoramas, inclui a exibição de uma série de vídeos sobre o tema da pele morena, realizados por Duncan Lindsay e Quito Ribeiro, simultaneamente à música executada pelo quarteto Arto Lindsay, Naná Vasconcelos, Pedro Sá e Hugo Carranca.

"Onde Estão os Heróis?", Tadeu Jungle

Como parte da programação do Eixo Histórico, o artista Tadeu Jungle homenageia o poeta Waly Salomão com a obra Onde Estão os Heróis?. A performance é apresentada em diversos espaços dentro e fora do Sesc Pompeia.

"Quem é Ernesto Varela?", Marcelo Tas

A performance Quem é Ernesto Varela? é parte da programação do Eixo Histórico. A apresentação conta com a exibição de um vídeo sobre a trajetória de Ernesto Varela, contextualizada com imagens de época, seguida por uma narração do próprio personagem ao vivo.

"Tabla Dubb", Hassan Khan

Como parte da mostra Panoramas, a performance Tabla Dubb, do egípcio Hassan Khan, convida a ponderar sobre a política do corpo em um ambiente urbano caótico, a cidade do Cairo. O artista mistura música e declarações repetidas ao sabor de imagens tomadas da capital.

"The Loudest Muttering is Over: Documents From the Atlas Group Archive", Walid Raad

The Loudest Muttering Is Over: Documents From the Atlas Group Archive é uma performance-palestra em que Walid Raad apresenta arquivos do The Atlas Group. A performance integra a mostra "Narrativas Possíveis - Práticas Artísticas no Líbano".

programas públicos

Apresentação Banco de Dados Videobrasil

A apresentação tratou da criação de um sistema de rede a partir do qual se organizam os conteúdos reunidos sobre suporte eletrônico, com enfoque no eixo geopolítico Sul, justapostos numa interface online. O banco de dados propicia uma navegação de pesquisa arrojada.

Mostra Competitiva do Sul: Encontros de Autores

Em três dias de encontros abertos ao público, os artistas da Mostra Competitiva discutiram o panorama do contexto em que estão inseridos, os processos de criação e as temáticas recorrentes em suas obras.

Narrativas Possíveis - Práticas Artísticas no Líbano: Apresentação dos curadores

Os curadores Akram Zaatari e Christine Tohme apresentaram, no auditório, os artistas e suas obras, além dos conceitos que balizaram a mostra "Narrativas Possíveis - Práticas Artísticas no Líbano".

Narrativas Possíveis - Práticas Artísticas no Líbano: Palestra de Jalal Toufic

Na palestra "Defendendo os Nomes Próprios do Ser Humano", Jalal Toufic falou no auditório sobre seu trabalho, antes da exibição de sua obra Ashura: This Blood Spilled in My Veins.

Painel Investigações Contemporâneas: "Circuito de Arte em Deslocamento"

O debate "Circuito de Arte em Deslocamento" integrou a série de painéis do eixo Investigações Contemporâneas – sob coordenação de Christine Mello –, que abordou os caminhos das práticas realizadas nas confluências entre arte-ciência e arte contemporânea. 

Painel Investigações Contemporâneas: "Corpo em Deslocamento"

O debate "Corpo em Deslocamento" integrou a série de painéis do eixo Investigações Contemporâneas – sob coordenação de Christine Mello –, que abordou os caminhos das práticas realizadas nas confluências entre arte-ciência e arte contemporânea. 

Painel Investigações Contemporâneas: "Cultura em Deslocamento"

O debate "Cultura em Deslocamento" integrou a série de painéis do eixo Investigações Contemporâneas – sob coordenação de Christine Mello –, que abordou os caminhos das práticas realizadas nas confluências entre arte-ciência e arte contemporânea. 

Painel Investigações Contemporâneas: "Linguagens em Deslocamento"

O debate "Linguagens em Deslocamento" integrou a série de painéis do eixo Investigações Contemporâneas – sob coordenação de Christine Mello –, que abordou os caminhos das práticas realizadas nas confluências entre arte-ciência e arte contemporânea. 

Painel Panoramas: "Imaginário Tecnocultural"

Os painéis sobre a mostra Panoramas, sob coordenação de Eduardo de Jesus, abordaram as estratégias da produção de imagens nos cenários periféricos. O debate "Imaginário Tecnocultural: Novas mídias, arte e participação" teve mediação de José Carlos Mariátegui.

Painel Panoramas: "Memórias Contemporâneas"

Os painéis do "Panoramas", coordenados por Eduardo de Jesus, abordaram as estratégias da produção de imagens nos cenários periféricos. O debate "Memórias Contemporâneas" teve mediação de Christine Mello.

Painel Panoramas: "Multiculturalidade, Identidade e Gênero"

Os painéis sobre o "Panoramas", coordenados por Eduardo de Jesus, abordaram as estratégias da produção de imagens nos cenários periféricos. O debate "Multiculturalidade, Identidade e Gênero" foi mediado por Katia Kanton.

documentação

Making Of 14º Videobrasil

O videodocumentário dirigido por André Finotti traçou um painel dos eventos e das ideias que circularam no Festival. Com depoimentos de artistas, curadores e organizadores, o making of destacou as principais programações com imagens das obras.